Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ele há dias...

... em que me apetece dizer disparates e escrever o que me vem à cabeça, sem me preocupar em ser politicamente correcta. Este espaço vai servir para isso (pelo menos não gasto papel!).

Ele há dias...

... em que me apetece dizer disparates e escrever o que me vem à cabeça, sem me preocupar em ser politicamente correcta. Este espaço vai servir para isso (pelo menos não gasto papel!).

04
Jan21

Do “passou-se” ao “já lá vai”...

Mäyjo
Ou uma reflexão sobre o período das Festas.

48917626_2293252444032540_5901963875695198208_n.jp

Então, como foi o Natal? E essa passagem de ano?
As mesmas perguntas de sempre repetem-se. As respostas, essas divergem... proporcionalmente à emoção de quem responde.
“Passou-se”, quando o contributo para a nossa felicidade provavelmente não compensou toda a correria e o dinheiro gasto.
“Já passou”, quando a ansiedade que causou finalmente chegou ao fim.
Se pensarmos um pouco: O que queremos dizer quando desejamos “Boas Festas”?

A expressão “Boas Festas” reflete a expectativa de que esta seja uma época positiva. Com a família reunida, com regressos a casa, com tempo para pôr a conversa em dia, com sorrisos e petiscos, com presentes bons e casas bonitas como nas revistas e nos anúncios da televisão. Mas a realidade muitas vezes é bem diferente e quando as expectativas são altas e o resultado é diferente do esperado a palavra de ordem é desilusão (para não verbalizar frustração, tristeza...) E mesmo quando afinal até temos umas Boas Festas acabamos muitas vezes por nos sentirmos culpados por estramos felizes, enquanto outros estão tristes e não partilham da nossa felicidade... 

Quero acreditar que há cada vez mais sensibilidade para se perceber o que não está bem como outro e que há quem se esforce por combater o que anda de errado com o Natal há tanto tempo: procurando mais no menos e estando mais do que fazendo!
Que o novo ano que agora começou tenha mais dessa sensibilidade, dessa empatia, desses esforços, desse menos e desse estar.

Para que, quando nos perguntarem como foi o Natal e o fim-de-ano, possamos dizer mais vezes “passei bem”.

 
29
Dez18

Mais um ano se encerra

Mäyjo

11.jpg

 

Mais um ano se encerra, mais um ciclo se fecha e é tempo de fazer uma retrospetiva, é tempo de olhar para trás e rever os planos que foram traçados, o caminho que foi percorrido, as metas e os objetivos que foram alcançados.


É também tempo de olhar para a frente, refazer planos, abrir novos horizontes... Sonhar!

 

Um Ano Novo muito próspero! 

Boas Festas e Felicidades!  

02
Jan18

Deixei 2017 sem ressentimentos

Mäyjo

64f86a595eb07245ba7b8c09ab9674fe.jpg

Deixei 2017 sem ressentimentos. Foi um bom ano. Nos seus 365 dias tive dúvidas. Parei muitas vezes para ver qual o caminho a seguir. Houve dias em que fiz marcha atrás, mas outros houve em que segui em frente a alta velocidade e a pensar que a vida é uma aventura deliciosa.

 

Nos últimos anos vi partir pessoas queridas, que me viram crescer e de quem guardo boas recordações. Nestas alturas há uma frase que guardo há anos e que me dá tanta força nestes momentos: "só morremos quando morrer a última pessoa que se lembrar de nós". Por isso há muitos dias em que recordo pessoas boas, que amei e que me amaram. Faço questão de me lembrar delas, sempre.

 

No final de cada ano sinto sempre gratidão. Sinto-me grata por ter tido saúde, por ter a minha família perto de mim, por ter amigos para os bons e maus momentos. Por ter pessoas à minha volta que acreditam em mim. Por ter um mãe que me acompanha sempre. Que me estende a mão sem eu pedir. Que me incentiva quando vacilo. Sinto-me grata por estabelecer laços. Por poder sorrir todos os dias. Quando temos tudo isto, o resto cabe-nos a nós fazer acontecer. Haja coragem e força!

 

Cada novo ano é o virar de uma página. É um recomeço. São novas oportunidades que chegam prontas a seguir de braço dado connosco. Há sempre uma luz de esperança nesta mudança. Uma luz que nos faz pensar que é possível, que nos impele a querer fazer, a traçar objetivos, a seguir em frente com a nossa vida, com muitos ou poucos ajustes.

 

Foi de braços abertos, com os olhos a brilhar de esperança e um sorriso de felicidade que recebi o novo ano. Que 2018 seja um ano de muitas alegrias, de muitas concretizações, de muitas barreiras ultrapassadas. Que seja um ano de paz e que nos traga a tranquilidade para seguir em frente com muita saúde.

Que seja um ano que nos permita, a todos, sonhar!

 

 

01
Jan18

2018

Mäyjo

ano novo.jpg

São as pequenas coisas que fazem a diferença!!!

Preste atenção a elas e tudo o mais será grandioso!!!

 

Que venha 2018, criativo e produtivo!!!

 

A todos os meus amigos/conhecidos e familiares um excelente 2018 e que se lixe tudo o que se passou de 2017!!!

31
Dez17

Em 2017...

Mäyjo

Em cada ano que começa, gosto de olhar para trás. Contemplar e refletir.

É um exercício que me faz pensar no que fiz, no que quero fazer, no fundo, que rumo e sentido quero continuar a dar à minha vida.

Acredito sempre que todos os anos nos trazem coisas boas. Acredito, também, que cada um de nós consegue fazer as escolhas certas de modo a ser feliz. Mesmo quando há coisas que não controlamos ou que não dependem de nós.

Acredito que há sempre caminhos... se nos deparamos com um muro? Esperamos. Ponderamos e arranjamos maneira de o superar. Nem que para isso tenhamos que construir degraus.

Na vida há sempre dias menos bons, em que nos falta a energia, em que colocamos em dúvida muitas coisas, mas também há outros, em que parecemos estar ligados à corrente e sentimos cá dentro uma voz forte e determinada que nos diz: Tu consegues! Tu consegues! Vai, força! Esses são os melhores dias! E que esses, ao fim de um do ano, sejam sempre a dobrar em relação aos outros.

A nossa atitude perante a vida faz toda a diferença. Como diz o ditado: “Ao ver um copo com água, gosto sempre de pensar que está meio cheio e não meio vazio!”

A gratidão é um sentimento de reconhecimento pelo bom que a vida nos oferece. Sinto-me grata pelas coisas boas que 2017 me trouxe. Pelas oportunidades. Pelos momentos doces que vivi. Por ter aqueles de quem gosto, perto de mim. Por acordar todos os dias junto da pessoa que escolhi para partilhar a minha vida!

Sabe bem saber que “a minha mais velha” e “o meu mais novo” irão estar lá quando eu preciso e que me estendem a mão e me dizem muitas vezes: "Tu és capaz"!

Nos balanços finais de um ano, entre as coisas boas e menos boas, só gosto de contar e relembrar o que de bom pude viver. É disso que se alimenta a minha energia, a minha vontade e força para continuar.

Vivi momentos felizes com alguns amigos. Reencontrei-me com outros, distantes pelo passar dos dias, mas sempre presentes no lado esquerdo do meu peito.

Em 2017 não pude abraçar o meu pai, mas continuei a poder abraçar a minha mãe... e dizer-lhe, muitas vezes, gosto de ti!

Em 2017 olhei para o azul do céu. Vi o pôr do sol no final de um dia de praia. Ri-me. Fiz rir. Olhei a noite estrelada numa noite quente de Verão. Ouvi, pela primeira vez, fado ao vivo. Cantarolei, no carro, vezes sem conta. Viajei muito... Coloquei flores nas jarras que tenho espalhadas pela casa. Brinquei e corri com os meus cães na praia. Vi as flores e a minha horta crescer. Apanhei fruta madura nas árvores.

Em 2017 tentei agarrar a felicidade das pequenas coisas. Dos pequenos nadas que somados se tornam gigantes.

 

Que 2018 seja um ano que nos continue a permitir sonhar!

Não vou esperar por 6ªfeira para ser feliz! Vou fazer da minha vida uma festa!!.jpg

26
Dez17

Ano que vem...

Mäyjo

25157987_10155277030027099_4239495550058279299_n.jpg

Ano que vem... A frase preferida para esta época onde o ano atual, os últimos dias, já não servem para mais nada. 
A gente fica ansioso para o tempo passar e os próximos 365 dias chegarem logo. Não faltam planos, vontades, resoluções
para este começo totalmente novo que o 1º de janeiro traz. 
Da minha parte, não me importo de começar o ano novo com tudo igual. Como eu tenho andando modesta, vou pedir que tudo permaneça. Que eu continue amando e sendo amada com leveza.
Que eu continue confortável com minha profissão. Que eu continue aproveitando a companhia de amigos e familiares queridos.
Que eu continue com saúde, alegria e paz.

Este foi um ano de colheita, depois de um plantio realizado com muito esforço, dificuldades e solidão. 
Hoje vivo num tempo de crescimento sem dor e com mais consciência. Só tenho a agradecer e pedir que tudo i

sso não mude.

Feliz tudo de novo!

 

 

01
Jan10

Ano Novo, vida nova?

Mäyjo

Começar o ano com absolutamente nenhuma resolução parece-me não só preocupante, como flagrantemente revelador da apatia intelectual em que se cai, quase que intencionalmente, quando as questões são demasiado cruciais para nos atrevermos a dar-lhes uma resposta.

Dizer-se que a partir de hoje se inicia um novo ciclo parece-me demasiado optimista, porque, na essência próxima, o estado das coisas permanecerá inalterado.

Assim, concluir-se-á, uma vez mais, que as ocasiões que marcam viragens não são necessariamente aquelas que se encontram sublinhadas no calendário, mas sim as pequenas decisões que tomamos diariamente com a leveza dos inconscientes.

 

Não obstante, um novo ano continuará a ser sempre uma fantástica desculpa para uns tantos merecidos excessos.

31
Dez09

Bem-vindo 2010

Mäyjo

 

Mais uma página virada no calendário da vida…

Um dia muito ansiado por alguns (que eu conheço…) mas que passa tão rápido!

São uns breves instantes que nem nos dão tempo para fazer aqueles balanços que nos dizem sempre para fazer...

e para pedir os 12 DESEJOS!!!

Tão rápido, já lá vai…

Para o ano há mais (para quem lá chegar…)

O que foi mesmo que pedi?

Não interesa, basta um desejo: Saúde!  Se essa existir, tudo o resto se procura e se constrói!

 

        Bem-vindo 2010!

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D