Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ele há dias...

... em que me apetece dizer disparates e escrever o que me vem à cabeça, sem me preocupar em ser politicamente correcta. Este espaço vai servir para isso (pelo menos não gasto papel!).

Ele há dias...

... em que me apetece dizer disparates e escrever o que me vem à cabeça, sem me preocupar em ser politicamente correcta. Este espaço vai servir para isso (pelo menos não gasto papel!).

27
Abr20

Ela disse-me...

Mäyjo

... quando me via muito preocupada, que os problemas do dia-a-dia, somos nós que criamos !

Ou surgem assim, destas coisas mundanas que o ser humano tem uma certa arte para fazer acontecer... normalmente têm solução.  

Eles parecem grandes tragédias dramáticas em 3 atos, mas no fim, meia dúzia de dias, semanas ou meses depois, acabam por ter uma solução... e depois são só factos aos quais nos habituamos e com que aprendemos a lidar e a viver.

48364350_1907595172669679_7001058505096429568_n.jp

 

 

26
Abr20

Por muito triste que seja...

Mäyjo

Por muito triste que seja, existem alguns problemas que não está nas nossas mãos resolver, não adianta o quanto queremos, o quanto amamos, o quanto lutamos.

Há problemas que por muito que nos custe têm a resolução que lhes apetecer...

Mas às vezes esses “problemas” continuam a ajudar-nos assim, enquanto dormimos...

60440350_2125982214164306_6502158578621612032_n.jp

 

 

12
Abr20

A Páscoa este ano é diferente

Mäyjo

A Páscoa este ano é diferente...

Sem os abraços e os beijos daqueles de quem gostamos. Sem a proximidade dos que nos são queridos, sem uma mesa cheia de gargalhadas e boa disposição. Sem passeios de família, ao final da tarde.

Mas, temos de manter a fé e a esperança. Há que continuar a celebrar a vida e o amor, mesmo que à distância. Temos que encher a nossa casa e os nossos corações com afetos e pensamentos de gratidão.

Mais do que nunca, é importante sermos persistentes, termos a capacidade de renascer e de nos reinventarmos.

A todos, votos de uma doce Páscoa!

vou atirar-me de cabeça à Páscoa.jpg

 

08
Abr20

Esta é uma altura de...

Mäyjo

Esta é uma altura de uma desmedida exigência: não podemos adoecer, o trabalho não pode parar e os nossos filhos/pais/avós idosos precisam muito de nós.
Mas é também uma fase de exceção e é preciso compreensão e benevolência: dos patrões para com os empregados, dos pais para com os filhos, enfim... de todos para com todos. Já lá vão quinze dias (para alguns mais) e não sabemos quantos mais virão.
Não é só a curva de infeção e letalidade que temos de controlar, é também a de ansiedade que se vive em cada casa, em cada família!
Para que não acabemos esta quarentena “saudáveis”, mas a sentirmo-nos péssimos...

48405903_1916246335137896_5460084068186062848_n.jp

 

05
Abr20

Em tempos de isolamento...

Mäyjo

- Mestre, como posso enfrentar o isolamento?

- Limpa a tua casa. A fundo. Em cada canto. Mesmo os que nunca sentiste a coragem e a paciência para limpar. Torna a tua casa brilhante e bem cuidada. Remove poeira, teias de aranha, impurezas. Mesmo no lugar mais oculto. A tua casa representa-te: se cuidas dela, também te cuidas.

- Mestre, mas o tempo é longo. Depois de cuidar de mim na minha casa, como posso viver o isolamento?

- Conserta o que pode ser corrigido e remove o que não precisas mais. Dedica-te à colcha de retalhos, cose o início das calças, costura bem as bordas desgastadas dos vestidos, restaura uma peça de mobiliário, repara tudo o que vale a pena reparar. O resto, deita fora. Com gratidão. E com a consciência de que o seu ciclo terminou. Consertar e remover o que está fora de ti permite corrigir ou remover o que está por dentro.

- Mestre e depois o quê? O que posso fazer o tempo todo sozinho?

- Semeia. Até uma pequena semente num vaso. Cuida de uma planta, rega-a todos os dias, fala com ela, dá um nome, remove as folhas secas e as ervas daninhas que podem sufocá-la e roubar energia vital preciosa. É uma maneira de cuidar das tuas sementes interiores, dos teus desejos, das tuas intenções, dos teus ideais.

- Mestre e se o vazio vier visitar-me? ... Se vier o medo da doença e da morte?

- Fala com eles. Prepara a mesa para eles também, reserva um lugar para cada um dos teus medos. Convida-os para jantar contigo. E pergunta-lhes por que vieram de tão longe para a tua casa. Que mensagem eles te querem trazer. O que eles te querem comunicar.

- Mestre, acho que não posso fazer isso ...

- A tua questão não é isolar os problemas, mas o medo de enfrentar os teus dragões internos, aqueles que sempre quiseste afastar de ti. Agora não podes fugir. Olha nos olhos deles, ouve e descobrirás que te colocaram contra a parede. Eles isolaram-te para que pudessem falar contigo. Como as sementes que só podem brotar se estiverem sozinhas.

Autor desconhecido

59494581_2111366395625888_3500111214791360512_n.jp

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D