Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ele há dias...

... em que me apetece dizer disparates e escrever o que me vem à cabeça, sem me preocupar em ser politicamente correcta. Este espaço vai servir para isso (pelo menos não gasto papel!).

Ele há dias...

... em que me apetece dizer disparates e escrever o que me vem à cabeça, sem me preocupar em ser politicamente correcta. Este espaço vai servir para isso (pelo menos não gasto papel!).

31
Jul09

As mentiras de um homem

Mäyjo

 

A minha amiga continua com as suas lições.  
 
Para que os meninos nos poupem aos assaltos de “mentirece” aguda, ora vejam lá se reconhecem estes quatro exemplos mais comuns:
 
 “Não estou bêbado” – esta mentira é fácil de deslindar até porque, usualmente, soa a “Natô bêbdo”. E não existe qualquer razão para o afirmarem, a não ser que o estejam, MESMO!
 
Somos só amigos” – existem outras variantes tais como “ela é lésbica”, “ela só precisa de alguém com quem falar”, “ela está a passar um período difícil”, “ela está com uma doença terminal”, “ela não sente nada por mim”... enfim, afinal a mentira está somente na palavra !
 
O sexo com a minha ex era horrível” – o sexo para os homens é uma constante na vida – é sempre bom, não importa com quem, onde e quando.
 
 “De uma vez por todas, eu não quis ir para a cama com aquela mulher” – claro, foi a contragosto... nem outra coisa nos passaria pela cabeça. E a verdade nunca será divulgada até porque os meninos pensam que nada têm a ganhar contando a mesma.
30
Jul09

Como ser feliz [parece-me fácil]

Mäyjo

1.Deixe fora os números que não são essenciais.
Isto inclui a idade, o peso e a altura. Deixe que os médicos se preocupem com isso.

2.Mantenha só os amigos divertidos.
Os depressivos puxam para baixo.
(lembre-se disto se for um desses depressivos)
3.Aprenda sempre.
Aprenda mais sobre computadores, artes, jardinagem, o que quer que seja. Não deixe que o cérebro se torne preguiçoso.
“Uma mente preguiçosa é oficina do Alemão” (e o nome do alemão é Alzheimer)
4.Aprecie mais as pequenas coisas.
5.Ria muitas vezes, durante muito tempo e alto.
Ria até lhe faltar o ar. E se tiver um amigo que o faça rir, passe muito tempo com ele/a.
6.Quando as lágrimas aparecerem aguente, sofra e ultrapasse.
A única pessoa que fica connosco toda a vida somos nós próprios.
Viva!
7.Rodeie-se das coisas que ama.  
A família, animais, plantas, hobbies, o que quer que seja. O seu lar é o seu refúgio.
8.Tome cuidado com a sua saúde.
Se é boa, mantenha-a; se é instável, melhore-a. Se não o consegue, procure ajuda.
9.Não faça viagens de culpa.
Faça uma viagem ao centro comercial, até a um país diferente, mas não onde haja culpa.
10.Diga às pessoas que ama que as ama a cada oportunidade.
[retirado de um daqueles mail's em cadeia]
28
Jul09

Não me alimento de visitas

Mäyjo

 

Se eu me alimentasse das visitas deste blog, neste momento estaria indecisa em transformar o "Ele há dias..." num blog de culinária (com uma especialidade em bifes), ou num blog de lingerie para homem, ou ainda numa agência de viagens.
 
Como eu sou mais virada para outro género de alimento, o mais certo é deixar as coisas como estão!
O "Ele há dias..." vai continuar a ser um blog tipo... assim... sei lá... Tipo coiso!

Legenda: contador de visitas
26
Jul09

Fronteiras

Mäyjo

 

“As fronteriras nacionais são tão invisíveis como os meridianos da longitude ou os trópicos de Câncer e Capricórnio. As fronteiras são arbitrárias. O Planeta é real...”
 
Carl Sagan, Contacto, Gradiva, Lisboa, 1985
 

 

24
Jul09

Férias

Mäyjo

 Ai, ai, chegaram as férias tão esperadas...ha! há! ha!...

Estou muito contente pois vou descansar bastante para continuar mais um ano de correrias. Mais logo estarei de volta, postando coisas não tão interessantes da minha vida (risos).
 
Férias:
do Lat. ferias s. f.,
 
(no pl. ) dias de suspensão dos trabalhos oficiais;
(no pl. ) folga;
(no pl. ) descanso, repouso.
 
 
 
 
 
Até logo minha gente, com mais novidades...
 
Bjocas

 

20
Jul09

Vou-me calar

Mäyjo

Sinto que se aproxima o momento de atingir o meu máximo expoente. Momento em que me calo.

 

A alguns a vida permite o desenvolvimento necessário para que continuem a dizer algo de verdadeiramente interessante.

 

A outros não foi dado o discernimento para que entendam que já não importa o que dizem.

 

Numa estatística mediana fico-me no compromisso possível. Resta-me aprender a sentir-me confortável com esta revelação e apagar a aspiração de ser o que não sou.

17
Jul09

Conquistando sonhos (continuação)

Mäyjo

Este é o lema de uma organização do Brasil INDIGNação SEM ação É INDIGNO. TEM QUE TER DETERMINação: DETERMINE SUA ação!

ENVOLVA-SE, CONTRIBUA PARA A CONQUISTA DE UM SONHO!

Somos a primeira geração que pode por fim à pobreza. Não vamos perder essa chance.

INFORME-SE E DIVULGUE OS ODM:

ÁREA DE ACTUAÇÃO


Nenhuma mulher deveria perder a vida ao dar à luz. Mas centenas de milhares morrem a cada ano. Nenhum recém-nascido deveria morrer devido à falta de assistência a sua mãe. Mas milhões morrem. Nenhuma mulher deveria ter gestações não desejadas. Todas as famílias deveriam ter filhos saudáveis e as crianças deveriam chegar a um mundo preparado para cuidar delas. O FNUAP se ocupa de todos estes temas.

O FNUAP, Fundo de População das Nações Unidas, é a maior fonte de assistência em temas populacionais em todo o mundo e implementa projetos em mais de 140 países. O FNUAP apoia o direito dos indivíduos e dos casais de decidir livremente quanto ao número de filhos que desejam ter e o espaçamento entre os nascimentos, e de dispor de informações e recursos para conseguir isso.

O FNUAP ajuda mulheres, homens e jovens a planear suas famílias e evitar gestações não desejadas; a ter gestações e partos sem riscos;  a evitar as infecções de transmissão sexual, incluindo o HIV/sida; e a combater a discriminação e a violência contra a mulher.

Nossos objectivos

O FNUAP guia-se pelo Programa de Acção aprovado por 179 Governos durante a Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento, realizada no Cairo em 1994. Os principais objectivos desse Programa de Acção são:

  • Acesso universal aos serviços de saúde reprodutiva antes de 2015;
  • Educação primária universal e eliminação do desnível de género na educação antes de 2015;
  • Redução de 75% da mortalidade materna antes de 2015;
  • Redução da mortalidade de crianças menores de um ano;
  • Aumento da esperança de vida;
  • Redução de 25% na taxa de infecção por HIV antes de 2010.

Os objetivos da CIPD são compatíveis com os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio, metas estabelecidas em 2000 por líderes de todo o mundo a fim de reduzir a extrema pobreza a metade antes de 2015.

Os dois conjuntos de objectivos compartilham o mesmo propósito  —conseguir um mundo melhor e mais seguro—  e cada conjunto de objectivos tem importância crítica para alcançar o outro.

O FNUAP trata de garantir que a saúde reprodutiva e a ampliação dos meios de acção da mulher sejam componentes fundamentais dos programas de desenvolvimento, das reformas do sector de saúde e de outras acções destinadas a reduzir a pobreza e a falta de equidade. O FNUAP também trabalha para que os dados e as pesquisas sobre questões populacionais sejam considerados quando da formulação de políticas e programas.

Aprimoramento da saúde reprodutiva

O direito à saúde reprodutiva, inclusive o planeamento familiar e a saúde sexual, é um direito humano que faz parte do direito à saúde em geral. Os investimentos em serviços de saúde reprodutiva salvam vidas e as tornam melhores, detêm a propagação do HIV/sida e promovem a igualdade de género. Isto, por sua vez, possibilita maiores investimentos em saúde e educação, e contribui para estabilizar o crescimento da população e reduzir a pobreza.

Nas últimas três décadas, graças às actividades do FNUAP, ampliou-se o acesso voluntário aos serviços de planeamento familiar. Nos países em desenvolvimento, quase 60% das mulheres casadas já optam por utilizar contraceptivos, em comparação com entre 10% e 15% em 1969, quando o FNUAPcomeçou a realizar suas actividades.

No entanto, ainda há cerca de 350 milhões de casais que necessitam de um leque de opções entre os diversos modos de planear suas famílias ou espaçar seus filhos. Nos países em desenvolvimento, a cada minuto uma mulher perde a vida durante a gravidez ou o parto.

O FNUAP apoia a provisão de serviços de saúde reprodutiva e a disponibilização de uma gama mais ampla de opções quanto a métodos de planeamento familiar e informação a esse respeito. Os serviços de saúde reprodutiva incluem: atenção à gestação e ao parto; assistência psicossocial (aconselhamento) e prevenção da infertilidade; prevenção e tratamento das infecções do aparelho reprodutor e das infecções de transmissão sexual, incluindo o HIV/sida; atenção às consequências, para a saúde, do aborto realizado em condições precárias.

Promoção de estratégias de população e desenvolvimento

Nos últimos 50 anos, o número de habitantes do mundo mais que duplicou, passando de 2 bilhões e 500 mil em 1950 para mais de 6 milhões e 200 mil em 2002. Ainda que, na maioria dos países, as taxas de natalidade estejam descrescendo, a população mundial segue aumentando e, segundo se prevê, chegará a 8 milhões e 900 mil pessoas até 2050.

Os factores populacionais afectam todos os aspectos do desenvolvimento sustentável, incluindo pobreza, urbanização, HIV/sida, envelhecimento, segurança do meio-ambiente, migração, questões de género e de saúde reprodutiva. O FNUAP colabora com os encarregados de tomar decisões a fim de evidenciar tais conexões e incluir estes temas nos seus planos e políticas nacionais.

Ao longo dos anos, o FNUAP tem ajudado dezenas de países a realizar seus primeiros censos e a aprimorar sua própria capacidade para compilar e analisar dados.

Apoio aos adolescentes e jovens

Existem hoje no planeta mais jovens do que nunca e esta é a primeira geração que cresce na presença do HIV/sida. Mais de metade da população mundial tem menos de 25 anos de idade.

Esses jovens, que estão vulneráveis a gestações não desejadas, HIV/sida e infecções de transmissão sexual, além de estarem vulneráveis à exploração sexual, necessitam ter pleno acesso aos serviços de saúde reprodutiva e à informação a esse respeito para poder proteger-se.

O FNUAP garante que os adolescentes e jovens disponham de informação fidedigna e assistência especializada e confidencial, tenham acesso a serviços integrais e de custo razoável para prevenir gestações indesejadas e infecções de transmissão sexual.

Ao mesmo tempo, o FNUAP apoia a participação dos jovens em programas que transmitem noções de vida saudável e reduzem a desigualdade de género, pois considera esse apoio um investimento no desenvolvimento.

Prevenção do HIV/sida

Actualmente, as mulheres constituem quase metade dos adultos que vivem com HIV/sida. Em lugares onde a epidemia é particularmente severa, as mulheres adultas são mais propensas a contrair o vírus e as jovens têm probabilidades de estar infectadas pelo vírus até três vezes maiores que os meninos da mesma idade.

A prevenção inclui a redução de comportamentos sexuais que vulnerabilizam os jovens, assegurando um fácil acesso a preservativos, assim como sua utilização sistemática e correta. Além disso, essas medidas permitem às mulheres proteger-se e a seus filhos, e incentivam os homens a se comportarem como membros responsáveis de suas famílias e comunidades.

Promoção da igualdade de género

As mulheres podem e devem desempenhar um papel destacado na erradicação da pobreza, administrando os recursos da família e investindo em seus filhos. Quando as mulheres têm acesso à educação e são saudáveis, todos se beneficiam: suas famílias, suas comunidades e seus países. No entanto, a discriminação e a violência de género ainda estão generalizadas e diminuem as oportunidades de que as mulheres dispõem, além de negar-lhes a possibilidade de exercer plenamente seus direitos humanos básicos.

O UNFPA defende que se dê maior atenção às questões de género, promovendo as reformas jurídicas e normativas necessárias, compilando dados relativos às questões de gênero e apoiando projetos que ampliam as oportunidades de atuação feminina. Tudo isso pode melhorar a condição da mulher em todas as etapas de sua vida.

Assistência em situações de emergência

As crises humanitárias tendem a ser desastrosas para a saúde reprodutiva. As complicações da gravidez e do parto são as principais causas de problemas entre mulheres desabrigadas em idade fértil. Em situações de conflito, aumentam significativamente o risco de violência sexual e a propagação de infecções de transmissão sexual, incluindo o HIV.

De forma coordenada com outros organismos das Nações Unidas, o FNUAP assume a liderança na disponibilização de bens e serviços para a proteção da saúde reprodutiva das pessoas em situações de crise. Em tais contextos, é prioritário promover a maternidade sem risco e a saúde dos adolescentes, além de prevenir as infecções de transmissão sexual, incluindo o HIV, e a violência sexual e de género.

Financiamento

As contribuições do FNUAPA são voluntárias e não fazem parte do orçamento ordinário das Nações Unidas. A média anual de recursos disponibilizados é da ordem de 350 milhões de dólares. Há mais de 130 países doadores, entre os quais: Países Baixos, Japão, Reino Unido, Noruega, Dianamarca, Suécia, Finlândia, Alemanha, Suíça, Canadá e Bélgica.

A Diretora Executiva do UNFPA é Thoraya Ahmed Obaid,

que ocupa o cargo desde janeiro de 2001.

 

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D